Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para Santa Cruz, Bolsonaro mostra relação com ‘porões da ditadura’

Equipe BR Político

O presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, afirmou que vê no governo de Jair Bolsonaro um “flerte” constante com o autoritarismo e com a quebra de institucionalidade. No início da semana, Bolsonaro afirmou saber como morreu o pai de Santa Cruz durante a ditadura militar. “O presidente confessa ter relações com os porões da ditadura”, disse Santa Cruz, em entrevista ao Globo. O advogado afirma ter recebido mensagens de apoio de vários parlamentares filiados ao partido de Bolsonaro, o PSL. “Também recebi a ligação do governador de São Paulo, João Doria, chocado porque ele é filho de um deputado cassado que foi perseguido pela ditadura”, afirmou. “Acho que esse episódio separa os democratas dos não democratas”.

Na segunda-feira, 30, Bolsonaro publicou um vídeo no qual afirmava que o pai de Santa Cruz fazia parte do “grupo mais sanguinário” de oposição à ditadura, e que fora morto pelos próprios integrantes do movimento quando foi de Pernambuco ao Rio de Janeiro. A história, segundo Santa Cruz, é “estapafúrdia”. “Meu pai morava no Rio, depois foi morar em São Paulo porque passou em um concurso para servidor público enquanto terminava a faculdade. Estava longe de Pernambuco há muitos anos”. A versão do presidente também é contestada por documentos oficiais da Comissão da Verdade, como mostrou o BR18. A despeito da escalada retórica, o presidente da OAB afirma acreditar que Bolsonaro não tem nenhum problema pessoal com ele. “Eu não o conheço. Ele é presidente da República, tem meu respeito institucional”.