Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Paraná Pesquisa: Paes segue na frente e Martha Rocha cola em Crivella

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

Pesquisa estimulada do Instituto Paraná Pesquisa divulgada nesta sexta, 25, mostrou uma ligeira elevação do índice de eleitores que não votariam em nenhum candidato a prefeito no Rio de Janeiro e ligeira queda na preferência daqueles que votariam no líder Eduardo Paes (DEM), que passou de 28,6%, em agosto, para 25,1% em setembro. O ex-prefeito do Rio virou réu no dia 8 de setembro por crimes de corrupção, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro.

O segundo colocado, prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), se mantém na posição, mas também com tendência de queda e empatado tecnicamente com a Delegada Martha Rocha (PDT). Alvo da Justiça eleitoral, o prefeito foi declarado ontem inelegível pelo TRE-RJ, mas cabe recurso.

O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes Foto: Divulgação

Aqueles que não votariam em ninguém subiram de 18,5%, obtidos entre 15 e 19 de agosto, para 21,6% no levantamento atual. A margem de erro é de 3,5 pontos porcentuais para mais ou para menos.

Por outro lado, no levantamento espontâneo, os 68,8% dos que não sabiam em quem votar passaram para 62,1% em setembro, coincidindo com ligeiro aumento na pesquisa estimulada nos índices de preferência do eleitorado pela candidata Delegada Martha Rocha. Ela passou de 9,3% para 11,8% agora, empatada tecnicamente com Crivella, com 13,6%, que antes era de 15,4%.

Rejeição

Já a lista dos rejeitados apresenta o prefeito com maior índice de rejeição, com 70,9%; seguido de Benedita, com 58,2%; Paes, com 53,2%, e Martha, com 45,6%. Entre os que rejeitam a administração de Crivella, o público feminino se destaca frente ao masculino: 73,5% delas reprovam a gestão do prefeito, contra 68,9% de homens insatisfeitos.

“A estimulada mostra que a proporção de indecisos não chega a 30% (não sabe e não vai votar em ninguém). Mais que isso, mostra que a queda de Crivella o aproxima perigosamente do segundo pelotão, formado pelas candidatas de esquerda Marta Rocha e Benedita da Silva. Ambas agora aparecem com alguma chance de chegarem ao segundo turno, se o derretimento do prefeito continuar, ou mesmo se for impedido de concorrer, devido à sua recente condenação”, avalia o cientista político João Feres, professor do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP), da UERJ.

Os entrevistados com ensino superior também são os mais críticos ao governo municipal: 81,4% deles reprovam a forma de governar do prefeito.

“Os dados mais dignos de nota da pesquisa, para além do alto índice de indecisos – o que é natural a essa altura da campanha – são os relativos à maior rejeição feminina de Crivella e à forte correlação entre o grau de instrução e a rejeição ao pastor prefeito”, acrescenta Feres, também coordenador do Observatório do Legislativo Brasileiro (OLB).

O retrato atual então seria:

Eduardo Paes (DEM): 25,1%
Crivella (Republicanos): 13,6%
Delegada Martha Rocha (Martha Rocha): 11,8%
Benedita da Silva (PT): 7,3%
Bandeira de Mello (Rede): 3,6%
Clarissa Garotinho (PROS): 2,2%
Luiz Lima (PSL): 1,9%
Nenhum: 21,6%

O retrato de agosto era:

Eduardo Paes (DEM): 28,6%
Crivella (Republicanos): 15,4%
Delegada Martha Rocha (Martha Rocha): 9,3%
Benedita da Silva (PT): 7%
Clarissa Garotinho (PROS): 3,1%
Nenhum: 18,5%

A pesquisa ouviu 910 eleitores presencialmente entre os dias 20 e 24 de setembro e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o nº RJ-08624/2020.