Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Parlamentares comemoram a saída de Weintraub

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Logo após a confirmação que Abraham Weintraub está deixando o Ministério da Educação, parlamentares das mais diversas vertentes ideológicas comemoraram a saída do ministro. A oposição, como já era esperado, está em festa. Já vai tarde!”, ressumiu Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Mas mesmo políticos de centro, também manifestam concordância com a troca de comando do MEC.

“Presidente Bolsonaro acaba de tomar a sua mais importante decisão a favor da educação brasileira desde que tomou posse”, afirmou o deputado Marcelo Ramos (PL-AM), próximo do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e cotado como um dos candidatos para a disputa de sua sucessão.

Há tempos que Maia fazia críticas públicas contra Weintraub. Ele destacava que era impossível conversar com o ministro da Educação  e que ele não era suficientemente qualificado para o cargo que ocupava. Parlamentares mais próximos das ideias do Planalto, como o senador Major Olímpio (PSL-SP), também gostaram da saída. “Vejo com muita satisfação e tardia a saída do Ministro da Educação. Não fez nada. Não estabeleceu políticas públicas educacionais. Que vá feliz para qualquer outra atividade que será um bem para a educação brasileira”, disse.

Até mesmo o senador Fernando Collor (Pros-AL), comemorou a troca. “O Brasil merece um Ministro da Educação que tenha a experiência e o conhecimento necessários para conduzir políticas públicas à altura dos desafios que o País enfrenta na área, isentas de ideologias nefastas. Sem Educação inclusiva e de qualidade, não há futuro!”