Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Pastor vai insistir em ‘dízimo elétrico’ com Bolsonaro

Equipe BR Político

O deputado Silas Câmara (Republicanos-AM) considera que um subsídio às igrejas na conta de luz “não é um gesto grande, mas é importante” para a bancada evangélica. Ao Broadcast Político, nesta quarta-feira, 15, ele afirmou que defenderá ao presidente Jair Bolsonaro que a mudança na cobrança, ainda em estudo, tem impacto “insignificante” e não pode ser considerada subsídio. Eles se reuniram hoje pela manhã.

De acordo com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, o subsídio custaria R$ 30 milhões por ano ao governo. “Então, na verdade, quando eu conversar com o presidente, vou falar que é um gesto. Sinceramente, não é um gesto grande, mas é um gesto importante que reconhece os trabalhos das igrejas, pois nesse horário das 18h às 23h quase 300 mil funcionam, das quais metade delas nem estão nessa faixa (de grande porte)”, disse.

O pastor afirmou que teve acesso ao estudo da Agência Nacional  de Energia Elétrica, encomendado pelo Ministério da Minas e Energia e pelo Ministério da Economia que mostra que o custo do desconto é “insignificante”. “Eu sei que a Aneel fez estudo a pedido do MME e também do ministério da Economia, sei do resultado e posso te garantir que é insignificante. Mas para os templos é algo extremamente relevante.”