Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PDT tenta impedir posse de Ramagem na direção da PF

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Poucas horas depois da nomeação de Alexandre Ramagem ao cargo de diretor-geral da Polícia Federal, o PDT entrou com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a posse do delegado no cargo.

O partido cita a proximidade de Ramagem com a família Bolsonaro, entre outros pontos, como argumento para a ação. Antes mesmo da nomeação, a possível indicação de Ramagem já gerou críticas pela amizade pessoal que ele tem com o vereador Carlos Bolsonaro (PSC), filho do presidente, e suposto coordenador do chamado gabinete do ódio.

Alexandre Ramagem com o filho do presidente Carlos Bolsonaro

Alexandre Ramagem com o filho do presidente Carlos Bolsonaro Foto: Reprodução/Instagram

“Acrescente-se a isso a ligação intestina do litisconsorte com a prole da autoridade coatora, amplamente veiculada pela imprensa, inclusive com fotografia na intimidade de rendez-vous, reconhecida pelo presidente, coloquialmente, com o desprezo da expressão É daí?'”. Na foto citada, Ramagem aparece ao lado da esposa, de Carlos e outras pessoas na comemoração do ano novo 2018-2019.

Na avaliação do PDT, a nomeação de Ramagem representa abuso de poder por parte do presidente. Na última sexta, ao deixar o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro acusou Bolsonaro de tentar interferir na autonomia da PF. “Não obstante, o ato em questão incorre em abuso de poder por desvio de finalidade e, nessa medida, viola direito líquido e certo coletivo”, cita o documento.

Tudo o que sabemos sobre:

STFAlexandre RamagemPDTPolícia Federal