Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Pedidos de renegociação de dívidas a bancos chegam a R$ 200 bilhões

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A Febraban informou na segunda, 6, que os pedidos de renegociação de empréstimos de 2 milhões de clientes aos bancos chegam a R$ 200 bilhões, mas não informa o valor já negociado. O Itaú afirma que aceitou apenas 5% dos 302 mil pedidos que recebeu, diz o Estadão. No entanto, correntistas têm manifestado reclamações nas redes sobre as dificuldades nessa negociação. A entidade pede paciência, dizendo que é “preciso compreender que esse é um processo gradual e complexo, que demanda diversas providências e, em muitos casos, envolvem mudanças regulatórias”. Pesquisa recente da Confederação Nacional de Comércio (CNC) mostrou que em março o endividamento bateu recorde: 66,2% dos trabalhadores possuíam dívidas entre cartão de crédito, cheque especial, crédito pessoal, crédito consignado, carnês, financiamentos de carros, financiamentos de imóveis.

Correntistas têm manifestado reclamações nas redes sobre as dificuldades nessa negociação

Correntistas têm manifestado reclamações nas redes sobre as dificuldades nessa negociação Foto: Daniel Teixeira/Estadão

“Os bancos não querem dar dinheiro novo, nem querem alongar. Querem comprar só títulos públicos. O BC tem de reduzir mais os juros para os bancos ganharem menos dinheiro ao comprarem os títulos públicos”, afirmou Carlos Thadeu de Freitas, economista-chefe da CNC, à publicação. Na mesma linha, o diretor da consultoria Teros, Juan Ferres, acrescenta que “por mais que se injete liquidez, os bancos estão tendo muita dificuldade para elaborar uma proposta de crédito aos clientes, já que não há parâmetros para precificar esse crédito”.