Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Pedro Paulo cobra que não haja xiitismo fiscal do governo

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Com o impasse formado em torno do projeto de socorro aos Estados e municípios, segue a incerteza se a proposta será votada nesta segunda-feira na Câmara dos Deputados. O governo reclama do volume de recursos que a Câmara deseja que seja gasto com o socorro. E não está disposto a gastar mais do que algo em torno de R$ 30 bilhões e R$ 40 bilhões.

Este valor é bem aquém do que defende o relator do projeto, deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), que fala numa soma próxima a R$ 100 bilhões. Com a excepcionalidade provocada pelo impacto do coronavírus , o deputado lembra que serão necessárias despesas extraordinárias por governadores e prefeitos. E cobra que o governo não confunda a necessidade de se manter as práticas de responsabilidade fiscal com “xiitismo fiscal”.

“Estados e municípios estão à beira de um colapso”, alerta.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusPedro Paulosocorro aos Estados