Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Pesquisa da Fiocruz aponta que coronavírus chegou ao Brasil em janeiro

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Um estudo coordenado pela Fiocruz indica que o novo coronavírus teria chegado ao Brasil no fim de janeiro e estaria circulando com transmissão comunitária semanas antes do primeiro registro da doença no País, que ocorreu apenas em 26 de fevereiro. De acordo com a publicação, a transmissão acelerada do vírus no Brasil teria iniciado em época próxima a quando isso ocorreu em países da Europa. 

Aumento sustentado no número de infecções foi observado a partir da semana entre 2 e 8 de fevereiro

Aumento sustentado no número de infecções foi observado a partir da semana entre 2 e 8 de fevereiro Foto: Wilton Júnior/Estadão

O estudo foi feito com uma metodologia que infere a quantidade de casos passados pelos óbitos e pela investigação dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que começaram a ter aumento de registros acima do comum no Brasil a partir de fevereiro. Com a falta de testes e grande porcentual de infecções assintomáticas, os registros de óbito e da síndrome são uma informação mais confiável sobre o progresso da epidemia.

Análises moleculares retrospectivas de amostras de SRAG detectaram um caso de infecção pelo novo coronavírus na semana entre 19 e 25 de janeiro. O aumento sustentado no número de infecções foi observado a partir da semana entre 2 e 8 de fevereiro, conforme apresentado no MonitoraCovid-19, sistema do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz). Segundo os achados do estudo, portanto, durante o Carnaval o Brasil já tinha transmissão sustentada do vírus.

A pesquisa é a primeira a apontar o período de início da transmissão comunitária no Brasil e reforça evidências de pesquisas conduzidas na Europa a partir de análises genéticas, além de corroborar estudos realizados nos Estados Unidos, que indicaram que o começo da propagação viral na cidade de Nova York ocorreu bem antes do registrado.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusFiocruzestudoBrasil