Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PF indicia Alckmin por suspeita de lavagem de dinheiro e corrupção

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A Polícia Federal, utilizando informações colhidas pela operação Lava Jato, indiciou na tarde desta quinta-feira, 16, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) por suspeita de lavagem de dinheiro, corrupção e caixa dois. Foram também indiciados o ex-assessor da Secretaria de Planejamento do tucano, Sebastião Eduardo Alves de Castro e o ex-tesoureiro de campanha Marcos Monteiro por corrupção passiva, falsidade ideológica eleitoral e lavagem de dinheiro. As investigações foram conduzidas a partir da delação da Odebrecht.

Cabe agora ao Ministério Público decidir se dá prosseguimento à denúncia. Os delatores da empreiteira afirmaram que Alckmin recebeu R$ 10,3 milhões do setor de propinas da empresa para financiar suas campanhas ao governo de SP, em 2010 e 2014. Foram apresentados planilhas com os codinomes “Belém”, que seria uma referência a Adhemar Ribeiro, e “M&M”, que seria Marcos Monteiro, possível interlocutor de Alckmin, como mostra o Estadão.

Tudo o que sabemos sobre:

Geraldo AlckminPSDBLava Jato