Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Planalto reclama ‘paternidade’ dos R$ 600

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em guerra contra os Estados e municípios durante a pandemia do novo coronavírus, a conta do Palácio do Planalto no Twitter publicou na tarde desta quinta-feira, 9, uma mensagem para frisar que a paternidade do dinheiro da renda básica emergencial de R$ 600 “não é de prefeituras nem governos estaduais”, mas sim “fornecido pelo governo federal”.

Foto: Reprodução/Twitter

A deputada federal Sâmia Bomfim (Psol-SP) respondeu ao tuíte fazendo referência à primeira proposta feita pelo Planalto e alterada no Congresso: “se dependesse do governo federal, seriam só 200 reais”, escreveu. O pagamento do auxílio começou a ser feito hoje.

A explicação, contida em uma imagem com a assinatura da Secretaria de Comunicação (Secom), é antecedida por um chamado de atenção.

“O auxílio emergencial de R$ 600 por pessoa não é de prefeituras nem governos estaduais. O auxílio emergencial é fornecido pelo governo federal, para a população, graças aos impostos pagos pela própria população”, diz o texto, com estes mesmos trechos em negrito. Por fim, a peça diz que o auxílio “é dinheiro dos brasileiros para os brasileiros”.