Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Plano é votar reforma logo, mas cadê a proposta?

Marcelo de Moraes

Integrantes do futuro governo de Jair Bolsonaro definiram que pretendem aprovar a reforma da Previdência logo no primeiro semestre. O timing é perfeito, já que, fortalecido pelas urnas, o presidente eleito dispõe de grande capital político para conseguir dobrar o Congresso.

O problema é que, até agora, não se sabe ainda qual texto o futuro governo pretende colocar na mesa de negociações. Já se sabe que o projeto discutido durante o governo de Michel Temer é considerado ruim e não deverá ser aproveitado. E existe a possibilidade de fatiar alguns itens da reforma, como a idade mínima, para facilitar a votação. Mas, até agora, essas são apenas intenções. No Congresso, a reforma precisará passar pelas comissões técnicas e ser aprovada com três quintos do total de votos em dois turnos na Câmara e no Senado. Ou seja, vai demandar muita articulação política e boa comunicação sobre a importância da proposta. /M.M.

 

Tudo o que sabemos sobre:

reforma da previdência