Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Pode ser, pode não ser’

Vera Magalhães

Jair Bolsonaro voltou a falar à imprensa neste domingo sobre o relatório do Coaf com movimentações financeiras atípicas de Fabricio Queiroz, amigo seu e ex-assessor parlamentar do filho Flávio na Assembleia do Rio. “Ele tem que explicar, pode ser, pode não ser”, afirmou. Ele disse que não conversou com o amigo desde a divulgação do relatório. Sobre os depósitos de outros funcionários do gabinete ao ex-assessor, disse que “um ao longo de um ano transferiu 800 reais, o outro transferiu 1.500 reais, poxa”, minimizando a importância.

Bolsonaro explicou a declaração dada na véspera, por vídeo para a Cúpula Conservadora, em que havia defendido a mudança no sistema de votação eletrônica. Disse que quer mudar “um pouquinho” o sistema: “Como se fosse um voto impresso. Poderia ter uma fórmula mais atualizada do que essa”.