Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Políticos criticam postura de Regina Duarte em entrevista

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A entrevista da secretária especial de Cultura, Regina Duarte, em que a atriz, entre outras falas polêmicas, minimiza o período da ditadura e relativiza mortes, provocou reações não apenas da classe artística, mas também de políticos nas redes sociais. A ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, descreveu o episódio como um “show de horror”. 

A secretária de Cultura, Regina Duarte, em entrevista à CNN na quinta

A secretária de Cultura, Regina Duarte, em entrevista à CNN na quinta Foto: Reprodução/CNN

“Relativizou a tortura, fez apologia musicada à ditadura, mostrou indiferença com as mortes de artistas no país. Se esse é o preço que ela decidiu pagar para se manter no governo Bolsonaro, ultrapassou qualquer limite aceitável. Escolheu se aposentar cumprindo um péssimo e ultrajante papel”, escreveu a ex-candidata à Presidência da República.

Do mesmo partido de Marina, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também mostrou indignação ao compartilhar o trecho da entrevista em que Regina se recusa a ouvir o vídeo de sua colega de profissão Maitê Proença. “É característica de quem compõe esse governo a falta de apreço ao diálogo! Nem diante de milhares mortes eles se colocam a ouvir. Pelo contrário! Fogem, dão show, são covardes. Regina Duarte não é capaz de respeitar e ouvir a classe a qual pertence, por que ouvirá o povo?”

Marcelo Freixo (RJ), deputado federal pelo PSOL, também criticou a atriz pela aparição de ontem. “Regina Duarte sempre foi a namoradinha de um Brasil autoritário e torturador. Não merece nossa indignação, merece desprezo. Não respeita artistas que foram censurados, mortos, exilados, torturados. Termina a carreira com vaias. É triste como artista e deplorável como pessoa.”