Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Políticos reagem à fala de Bolsonaro sobre ‘Brasil quebrado’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Logo depois de o presidente Jair Bolsonaro afirmar que “o Brasil está quebrado” e que “não pode fazer nada” para resolver, não demorou para que políticos reagissem nas redes sociais à fala feita nesta terça-feira, 5, durante conversa apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada. Também foi rápido para que nas redes sociais a hashtag #renuncia aparecesse entre os assuntos mais comentados no País.

“O Brasil está quebrado mesmo, Bolsonaro. Você e Guedes estão terminando de afundar a economia. Presidentes não são eleitos p/ não fazer nada, mas p/ fazer. Pare de mimimi, de choramingar, bancar o coitadinho. Comece a trabalhar! Que tal vacinar a população? Onde estão as vacinas?”, questionou o presidente do Cidadania, Roberto Freire.

“Bolsonaro admitiu hoje ser incapaz de resolver a crise econômica do Brasil, é evidente também o desprezo pelas vidas brasileiras na pandemia. Se até o genocida atestou a própria incompetência, deveria pedir para sair!”, escreveu a deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL-SP).

“Realmente, Bolsonaro já provou que para solucionar problemas não tem habilidade alguma. Para causá-lós, porém, segue sendo seu melhor dom! O país está quebrado pela irresponsabilidade da sua gestão, presidente! Assumir isso já seria um começo interessante!”, escreveu o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

“O Brasil está quebrado e seu presidente não faz nada”, reagiu a ex-candidata à vice-Presidência, Manuela D’Ávila (PCdoB-RS).

“Bolsonaro não está nem aí para os mais de 14 milhões de desempregados e para as famílias assombradas pela fome depois do fim do auxílio emergencial. Sua única preocupação como presidente é salvar os filhos da cadeia”, disse o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ).

“Fora Bolsonaro! Depois de cometer inúmeros crimes graves, vejam o que disse o presidente: ‘Brasil está quebrado e eu não consigo fazer nada.'”, reagiu o deputado Paulo Teixeira (PT-SP).

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroBrasilquerbradoEconomia