Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Por que Adriano tinha medo de morrer na cadeia?, questiona Freixo

Equipe BR Político

Agora que o ex-PM Adriano da Nóbrega, apontado como chefe da milícia Escritório do Crime pelo MP-RJ, está morto, levando junto para a sepultura informações que poderiam ser determinantes na investigação de vários assassinatos e crimes no Rio de Janeiro, um dos questionamentos que o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) faz é sobre a causa do medo do ex-integrante do Bope de morrer na cadeia, conforme relatou a defesa do ex-acusado. “Foram apreendidos 13 celulares na operação de domingo. Segundo o advogado dele, ele não se entregou antes porque tinha medo de morrer na cadeia. Isso precisa ser esclarecido. De quem ele tinha medo dentro do Estado?”, questiona o parlamentar ao BRP.

Para Freixo, ainda que Adriano fosse chefe do Escritório, para o qual trabalhavam dois dos principais suspeitos da morte de Marielle Franco e Anderson Gomes, não é possível dizer que Adriano fosse suspeito da morte da ex-parlamentar do Rio e do motorista que a acompanhava na noite dos assassinatos, em 2018. “O Escritório é um grupo de matadores de aluguel que não agia em conjunto. Não quer dizer que todos participavam dos crimes”, acrescentou. O deputado adianta que terá reunião com líderes da Câmara a partir de terça, 11, “para que a Casa não fique totalmente distante desse episódio”.