Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Por que suspeição de Moro deve ser adiada?

Vera Magalhães

A ideia de julgar ainda neste ano o habeas corpus da defesa de Lula arguindo a suspeição de Sérgio Moro no julgamento do triplex perdeu força no STF. O HC não voltará à pauta da Segunda Turma tão cedo, me disseram dois ministros do Supremo, conforme antecipei na coluna desta quarta-feira.

A ideia é não ter mais assuntos “traumáticos” neste ano. E qual será a justificativa para deixar o caso para as calendas gregas? A oficial será o tempo reduzido. A Turma acaba de começar a se debruçar sobre um processo envolvendo Renan Calheiros, o que deve tomar mais algumas semanas.

Mas a controvérsia em torno da validação das mensagens obtidas na Vaza Jato a partir de hackeamento de celulares de procuradores e outras autoridades é uma das razões para deixar para depois (ou nunca?) essa discussão. Não há segurança a respeito de se o decano Celso de Mello aceitaria a validação dessas evidências e seu uso como prova.

Além disso, o fato de Lula ter sido solto como consequência do novo entendimento do próprio STF sobre prisão após condenação em segunda instância ajudou a arrefecer a pressão pela análise do HC, avaliam os ministros.