Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Prefeitura é maior empregador em 56% das cidades que podem ser extintas

Equipe BR Político

O plano do governo de extinguir a partir de 2016 os municípios sem sustentabilidade financeira vai esbarrar diretamente na situação econômica desses lugares. De acordo com o levantamento feito pela Folha, em 56% das 1.217 cidades que seriam afetadas pela proposta, há mais pessoas empregadas no serviço público do que trabalhando com carteira assinada em empresas privadas.​

Nessas cidades, é grande a dependência do setor público no emprego local. Em 682 delas, o número de trabalhadores com carteira no setor privado é menor do que a quantidade de concursados e celetistas contratados pelas prefeituras.

Nos mais de mil municípios que podem ser incorporados a outros, há pouco mais de 4 milhões de habitantes: 253 mil (6,2%) são servidores municipais e podem perder o emprego caso suas cidades sejam fundidas a outras. Na média, há um servidor para cada 16 habitantes nesses locais.

A parcela da população que trabalha no setor privado, com carteira assinada, corresponde a 7,6% dos moradores (309 mil pessoas).

Tudo o que sabemos sobre:

empregocidadesextintas