Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Presidente da ABDI ‘perde a cabeça’

Equipe BR Político

Em decreto publicado no DOU desta quarta-feira, 4, o presidente Jair Bolsonaro exonerou — ou cortou a cabeça, de acordo com palavras dele — Luiz Augusto de Souza Ferreira do cargo de presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). No mesmo decreto, publicado na madrugada desta quarta-feira, 4, no Diário Oficial da União, Igor Calvet é nomeado para ocupar o cargo em um mandato de quatro anos.

Luiz Augusto Ferreira, presidente da ABDI, é exonerado do cargo pelo presidente Bolsonaro

Luiz Augusto Ferreira, presidente da ABDI exonerado do cargo pelo presidente Bolsonaro Foto: ABDI

Pelo Twitter, Ferreira contestou a demissão. “Acabo de ser demitido. Sem apuração. Por ser correto. E ok, o que eu já previa. Os covardes cada vez mais tomam conta do governo. Agradeço ao presida (sic) Jair Bolsonaro. Espero que Deus possa iluminar suas decisões. E que abra seus olhos. E rápido.” Apesar de não ser verificada, a conta de Ferreira na rede social já foi mencionada pelo perfil oficial da ABDI.

O novo presidente da entidade é uma indicação do ministro da Economia, Paulo Guedes. Até então, Calvet ocupava a secretaria especial adjunta da Secretaria de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, cujo titular do órgão é Carlos da Costa, que sofreu acusações de Ferreira por supostamente atuar de forma “não republicana”, como revelou o Estadão.

Ferreira disse ter sido pressionado por Costa a bancar o aluguel de salas comerciais em São Paulo, o que custaria R$ 500 mil por ano à agência. O presidente da ABDI acreditava que não havia necessidade para a locação das salas. Costa negou qualquer irregularidade no pedido.

Na segunda-feira, 2, após ser questionado sobre as acusações de Ferreira contra Costa, Bolsonaro afirmou que um dos dois (Luiz Augusto Ferreira ou Carlos da Costa) “perderia a cabeça”.