Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Presidente da FPE nega influência sobre o MEC: ‘Não existe grupo evangélico no governo’

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

Com diversos nomes sendo cotados para o Ministério da Educação, o presidente da Frente Parlamentar Evangélica (FPE), deputado Silas Câmara (Republicanos-AM), avisou que não há nenhuma influência do grupo sobre a escolha de Jair Bolsonaro para a pasta. “Não há grupo evangélico no governo”, disse ao BRP.

Silas fez questão de contrapor uma suposta influência evangélica no Planalto com dois outros grupos. Ele lembrou que há ministros indicados pela ala militar e outros com intensa posição ideológica. Mas que ministros evangélicos como Damares Alves (Família, Mulher e Direitos Humanos), André Mendonça (Justiça) e Onyx Lorenzoni (Cidadania) foram escolham pessoais de Bolsonaro. E que assim o será se um evangélico for escolhido para Educação.

“Não é verdade que temos (FPE) preferência por alguém ou que nós (FPE) estejamos vetando alguém, e nem acredito que líderes evangélicos não-parlamentares também estejam indicando ou pressionando por alguém”, afirmou. “Nossa posição é que o presidente Bolsonaro tem nossa confiança e que ele escolha quem melhor atender o que o governo tem planejado para a Educação no Brasil.”