Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Presidente faz gesto de ‘banana’ a jornalistas ao ser questionado sobre biblioteca

Equipe BR Político

O presidente voltou a desmerecer o trabalho da imprensa ao mandar um gesto de banana com os braços aos jornalistas que se encontravam na porta do Palácio da Alvorada nesta manhã de sábado, 15. Isso porque ele fora questionado sobre as obras que vão reduzir o tamanho da biblioteca da Presidência para abrigar a equipe de trabalho da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, segundo reportagem de O Globo. “A minha esposa faz um trabalho para pessoas deficientes de graça. Arranjei um lugar pra ela trabalhar lá na Presidência, porque é melhor, fica mais perto dos ministros pra despachar. E a verdade é que (inaudível). Estão descendo a lenha que a biblioteca vai diminuir em vez de elogiar a primeira-dama. Quem age dessa maneira merece outra banana”, disse Bolsonaro.

Michelle vai trabalhar para o Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado – o Pátria Voluntária, criado em julho, para promover, valorizar e integrar o trabalho voluntário no País. De acordo com a reportagem, “é a segunda vez que o governo federal banca uma reforma para abrigar Michelle Bolsonaro e sua equipe na Esplanada. Há sete meses, foram gastos R$ 330 mil em obras no Ministério da Cidadania para adaptar salas para a primeira-dama e servidoras do Pátria Voluntária. ”

A Secretaria- Geral da Presidência respondeu em nota que “a biblioteca da Presidência da República, inclusive em razão de sua relevância institucional, vem passando por um permanente processo de modernização”, e que “no que se refere às recentes alterações do espaço físico destinado à biblioteca da Presidência da República, é importante registrar, primeiramente, que 100% do acervo físico será preservado, em condições técnicas adequadas (…) Ainda a esse respeito, cabe esclarecer que havia em torno de 40% de espaço não utilizado nas estantes da biblioteca, de forma que, mesmo com as alterações promovidas, ainda restará margem para ampliação do acervo.”