Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Presidente repete: ‘Não dá para ficar muito tempo com esse auxílio’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro repetiu nesta segunda, 19, a ideia propagada pelo ministro Paulo Guedes de que o Brasil estaria “saindo da crise”, mas mandou a pá de cal. “Não dá para ficar muito tempo com esse auxílio porque, infelizmente, o endividamento nosso é monstruoso. Mas o Brasil está saindo da crise, pelo que os números estão mostrando”, disse ele a apoiadores na porta do Palácio da Alvorada.

Como você leu mais cedo aqui no BRP, pela décima semana seguida, economistas do mercado financeiro aumentaram a projeção de inflação para 2020. Relatório Focus divulgado nesta segunda-feira, 19, pelo Banco Central mostra que os analistas subiram a estimativa de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA),  deste ano de 2,47% para 2,65%.

O mercado também prevê um tombo menor do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. A previsão desta semana dos economistas é de que a retração da economia fique em 5% neste ano, ante ao índice de 5,03% apontado na semana passada. Para 2021, o mercado baixou de 3,50% para 3,47% a estimativa de crescimento da atividade econômica.

A projeção para a taxa básica de juros do ano se manteve em 2%. Para o fim de 2021, a expectativa do mercado ficou estável em 2,50% ao ano. O que significa uma alta nos juros em 2021.

Já para o dólar, a estimativa do mercado para a taxa de câmbio no fim de 2020 subiu de R$ 5,30 para R$ 5,35. Para o ano que vem, a projeção ficou estável em R$ 5,10 por dólar.