Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Presidentes dos Poderes e PGR silenciam sobre Bolsonaro

Vera Magalhães

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, e o procurador-geral da República, Augusto Aras, silenciaram sobre as insinuações de cunho sexual proferidas pelo presidente Jair Bolsonaro à jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha, na manhã de terça-feira.

Foto: Marcos Corrêa/PR

Maia, que se manifestou na semana passada, quando Hans River, ex-funcionário de uma empresa especializada em disparos em massa de WhatsApp para campanhas eleitorais, depôs à CPMI das Fake News e acusou a jornalista de ter tentado seduzi-lo para obter informações, desta vez não deu declarações nem soltou nota oficial ou se pronunciou pelas redes sociais.

Aras foi cobrado ao longo do dia por políticos e procuradores para que se manifestasse, mas não o fez.

O termo “impeachment” chegou ao primeiro lugar entre os mais comentados do Twitter. A possibilidade de Bolsonaro responder por crime de responsabilidade por ferir o decoro do cargo foi aventada por parlamentares de oposição e analistas políticos. Escrevi a esse respeito na minha coluna no Estadão nesta quarta-feira.

Mas os presidentes da Câmara –a quem caberá analisar pedidos de impeachment caso eles sejam formulados –, do Senado e do STF ainda aguardam calados.

Tudo o que sabemos sobre:

presidentesPoderesJair Bolsonaro