Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Pressionado por investigação, Witzel demite secretário aliado

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Pressionado por ao menos dez pedidos de impeachment na Assembleia do Rio de Janeiro e investigado por suspeitas de corrupção na pasta da Saúde, o governador Wilson Witzel publicou nesta quarta, 3, a exoneração de um aliado, o secretário Lucas Tristão, do Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais. Na semana passada, o chefe estadual havia exonerado os secretários de Casa Civil, André Moura, e de Fazenda, Luiz Cláudio Rodrigues de Carvalho.

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio de Janeiro, Lucas Tristão. Foto: Philippe Lima/Governo do Rio

O secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio de Janeiro, Lucas Tristão. Foto: Philippe Lima/Governo do Rio

Tristão ajudou na coordenação da campanha de Witzel em 2018. Advogado, ele é próximo a Mário Peixoto, empresário preso em maio no âmbito da operação Favorito, cujos desdobramentos ajudaram a deflagrar a operação Placebo, que atingiu o governador. Segundo o Ministério Público Federal, o escritório de advocacia de Tristão recebeu R$ 225 mil das empresas de Peixoto, o que seria um elo entre a suposta organização criminosa e o governo, lembra o Estadão.

Nesta semana, o cerco começou a se fechar mais contra Witzel na Alerj após os deputados derrubarem ontem 17 dos 18 vetos do governador apreciados pelo plenário e também pelas indicações do presidente da Casa, André Ceciliano (PT), até então aliado, de que pode dar aval ao trâmites dos pedidos de afastamento de Witzel.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Wilson WitzelLucas Tristão