Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PRF aparece em reunião de professores para organizar atos contra Bolsonaro

Equipe BR Político

Meia hora antes de começar, uma reunião marcada por professores sindicalistas para preparar manifestações pacíficas contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que deve visitar Manaus nesta quinta-feira, 25, teve a incomum presença de três Policiais Rodoviários Federais armados. Segundo relatos dos professores nas redes sociais, os agentes foram ao local perguntar quem eram os organizadores dos atos. A PRF não respondeu qual a motivação ou o embasamento legal da operação. Segundo os professores, os policiais afirmaram que estavam lá para cumprir ordens do Exército. A assessoria do Comando Militar da Amazônia negou tenha determinado a diligência no sindicato.

“Eu havia acabado de sair da sala para beber água e me deparei com os policiais e a ponta de uma metralhadora. Cheguei a pensar que eles eram do sindicato dos policiais e de repente estavam ali para aderir ao movimento. Fomos falar com eles e eles falaram que estavam cumprindo ordem do Exército Brasileiro”, afirmou ao UOL o professor Yann Ivannovick, que também preside a Frente Brasil Popular no Amazonas e foi candidato a deputado federal pelo PCdoB nas eleições do ano passado. Nas redes sociais, ele comparou a ação com o período da ditadura militar. Segundo relato dos professores, os policiais foram gentis, entraram numa das salas do sindicato e passaram meia hora fazendo perguntas sobre o ato e seus organizadores. A reunião para organização das manifestações contrárias ao governo ocorreu depois da saída dos policiais.

Tudo o que sabemos sobre:

PRFreuniãoProfessoresatosJair Bolsonaro