Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Procurador da Greenfield cita ‘dificuldades com a PGR’ e deixa equipe

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O coordenador da Operação Greenfield, procurador Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, anunciou nesta sexta-feira, 4, que vai deixar a força-tarefa. Ele aponta que a operação enfrenta um “cenário de grave deficiência estrutural e dificuldades junto à Procuradoria-Geral da República”. O novo coordenador será Cláudio Drewes, que deve assumir a partir de 8 de setembro.

Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, procurador da República, em Congresso Nacional do MPD. Foto: Felipe Rau/Estadão

Anselmo era o único procurador exclusivo da Greenfield, que no início de seus trabalhos contava com cinco integrantes que se dedicavam somente às investigações do grupo. Juntamente com o relatório de atividades, a Procuradoria da República no Distrito Federal divulgou uma carta aberta escrita pelo procurador explicando sua decisão de se afastar dos trabalhos da Greenfield. No texto, ele disse que não é “possível que um só procurador da República se dedique com exclusividade a esse complexo investigativo”. Anselmo afirmou que sua saída foi motivada pela “insatisfação com a insuficiência de dotação de uma estrutura adequada de trabalho à força-tarefa”.

A Greenfield foi criada em 2016 para investigar fraudes em fundos de pensão de estatais. Ao longo dos quatro anos, o escopo de investigações foi ampliado, e atingiu ainda políticos como Geddel Vieira Lima e Eduardo Cunha, o ex-presidente Michel Temer e até o ministro Paulo Guedes.

A troca na Greenfield ocorre na mesma semana em que houve mudanças na força-tarefa da Lava Jato, com a saída de Deltan Dallagnol da coordenação no Paraná e com a debandada de sete procuradores do grupo de São Paulo, que alegaram divergência com a procuradora Viviane de Oliveira Martinzes, com quem compartilham a divisão do Ministério Público Federal em São Paulo.