Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Procurador da Lava Jato no Rio quer retratação de Gilmar

Equipe BR Político

A tensa relação entre o ministro Gilmar Mendes, do STF, e a força-tarefa da Lava Jato não foi amainada com a prisão do auditor fiscal Marco Aurélio Silva Canal nesta quarta, 2, pela Operação Armadeira. O procurador da República Almir Teubl Sanches, da Lava Jato no Rio, cobrou hoje uma “retratação” do titular do Supremo por associar as suspeitas que recaem sobre Canal à turma fluminense da operação.

Ministro Gilmar Mendes durante sessão da 2ª turma do STF

Ministro Gilmar Mendes durante sessão da 2ª turma do STF. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

Canal, supervisor de programação da Receita Federal, foi preso por cobrar propinas de réus e delatores em troca da suspensão de multas do Fisco. Ele teria movimentado um dossiê com informações financeiras de Gilmar e de sua mulher, Guiomar Feitosa. Em coletiva na manhã desta quarta, 2, os procuradores destacaram que Canal não tinha relação com a força-tarefa. Ele atuava numa etapa seguinte à investigativa.

Em julho, Gilmar mencionou Canal como o coordenador da investigação contra ele na Receita em entrevista à GloboNews, na posição de “chefe de programação da Lava Jato do Rio de Janeiro”.

Tudo o que sabemos sobre:

gilmar mendesSTFOperação Lava Jato