Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Procuradores de Sergipe desistem de cargo em protesto a Aras

Equipe BR Político

O procurador Ramiro Rockenback enviou um ofício à atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge, com sua desistência de assumir um cargo de comando no Ministério Público Federal em Sergipe, em protesto à indicação do subprocurador Augusto Aras para suceder Dodge no cargo. Rockenback foi eleito procurador-chefe em Sergipe, cargo subordinado à Procuradoria-Geral da República.

O subprocurador Augusto Aras, indicado nesta quinta-feira, 5, para a PGR pelo presidente Jair Bolsonaro

O subprocurador Augusto Aras. Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

Como Aras não foi escolhido pela lista tríplice da Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR), Rockenback não acredita que o indicado por Jair Bolsonaro tenha legitimidade para assumir o cargo. “Um PGR indicado assim, independentemente de quem seja, com todo o respeito, não tem legitimidade para comandar o MPF e, como penso, não deve ter colaboração para isso, mas sim, resistência, altiva e republicana”, escreveu o procurador no ofício, de acordo com o G1.

Rockenback não foi o único a protestar pela lista tríplice: o subprocurador-geral Mario Bonsaglia, o mais votado da tríade da ANPR, afirmou que a escolha de Bolsonaro foi um “retrocesso”. “Dia melancólico para o MPF”, escreveu no Twitter na quinta-feira, 5, quando o nome de Aras foi anunciado.