Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Profissionais de Saúde, Segurança e grupo de risco terão prioridade em vacina

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Com o acordo para compra e produção da vacina que está sendo desenvolvida pela Universidade de Oxford, o governo brasileiro informou qual será o plano de distribuição da vacina contra o coronavírus, caso a eficácia venha a ser comprovada. Profissionais de Saúde e da Segurança, mais vulneráveis ao contágio, terão prioridade, assim como pessoas do grupo de risco. Na primeira etapa de distribuição, prevista para começar em dezembro, serão 15 milhões de vacinas disponíveis aos brasileiros.

A perspectiva é que os resultados preliminares sobre os testes com a droga estejam disponíveis em novembro. “Os resultados de eficácia da vacina serão avaliados mês a mês e serão incluídos ao Reino Unido para serem avaliados nesse conjunto. Então, a ideia é que esses resultados preliminares sejam apresentados entre outubro e novembro. Todos esses dados serão somados aos dados mundiais”, disse a diretora de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos, Camile Sachetti.

Caso a eficácia venha a ser comprovada, a  Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) iniciaria uma produção de 100 milhões de vacinas, o que segundo o Ministério da Saúde seria suficiente para imunizar a população brasileira.

Tudo o que sabemos sobre:

Ministério da Saúdecoronavírus