Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Protesto contra a PM após 9 mortes em Paraisópolis

Vera Magalhães

Um protesto contra a Polícia Militar tomou as ruas da favela de Paraisópolis, a maior de São Paulo, na noite deste domingo, depois que, na madrugada anterior, 9 pessoas morreram pisoteadas e pelo menos 7 ficaram feridas durante ação da PM em um baile funk na comunidade.

O governo de São Paulo informou que vai investigar a ação da PM no baile, que reunia mais de 5 mil pessoas. A corporação diz que policiais perseguiam dois suspeitos em uma moto quando eles entraram no local do baile. Relatos de frequentadores e vídeos postados nas redes sociais mostram truculência da polícia, que usou gás lacrimogênio no baile lotado e fez com que houvesse tumulto para a dispersão dos frequentadores por uma escada estreita, o que teria levado às mortes.

Os nomes das vítimas não foram divulgados pela polícia. Seriam oito homens, dos quais pelo menos dois menores de idade, e uma mulher.

O governador João Doria lamentou o episódio em postagem nas redes sociais e prometeu que o caso será investigado.