Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Protestos se espalham contra apuração das eleições nos EUA

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Os Estados Unidos viveram uma segunda noite de protestos, enquanto os votos da eleição presidencial eram apurados. Embora grande parte das manifestações da quarta-feira tenha sido pacífica, em algumas cidades houve tensão. Na noite anterior, ao menos 20 pessoas foram presas durante protestos.

Em Minneapolis, manifestantes bloquearam a Interestadual 91, uma das principais rodovia de Minnesota, em um ato contra o presidente americano, Donald Trump, que tenta a reeleição  e na madrugada de quarta declarou vitória antes que os resultados finais da apuração fossem conhecidos. A polícia do Estado prendeu algumas das pessoas que faziam parte do protesto e se recusaram a deixar a via. A corporação, porém, não informou quantos foram detidos.

Na Pensilvânia, um dos estados onde a disputa está mais apertada, protestos exigindo que todos os votos sejam contados eclodiram na cidade de Filadélfia. Mais cedo, a campanha de Trump entrou com uma ação pedindo a suspensão da apuração das cédulas restantes no estado, que devem ser favoráveis a seu rival, o democrata Joe Biden. Segundo autoridades estaduais, a contagem de todos os votos deve terminar apenas na sexta-feira.

Protestos para que todos as cédulas sejam apuradas também aconteceram nas cidades de Portland, onde a polícia apreendeu fogos de artifícios, machados e um rifle em Oregon, Chicago e Nova York — nesta última, houve pequenos focos de incêndio causado pelos manifestantes.

Já em Detroit, no estado de Michigan, manifestantes a favor do presidente se reuniram em frente a um dos locais onde a apuração estava acontecendo. Eles exigiram que a contagem fosse suspensa, alegando que cédulas fraudulentas estavam sendo contadas. Alguns deles batiam na janela do local e gritavam: “Parem a contagem!”

Manifestantes durante protesto contra o racismo e os problemas no processo das eleições eleitorais em Minneapolis, na noite de quarta-feira, 4. Foto: Kerem Yucel / AFP

A campanha de Trump também entrou com uma ação em Michigan pedindo a suspensão da contagem. A imprensa americana já projetou a vitória de Joe Biden no estado.

No condado de Maricopa, no Arizona, uma multidão em apoio de Trump também se reuniu em frente a um ponto de contagem. Seu protesto, no entanto, se dirigia a veículos de comunicação, como a agência AP e a TV Fox, que projetaram a vitória de Biden no estado, onde outros veículos, como o NYT, consideram que é cedo para determinar o vencedor. Ali, os manifestantes pró-Trump pedem que “todos os votos sejam contados”.

Até o momento, Biden tem 264 votos no colégio eleitoral, contando com o Arizona. Trump tem 214 votos. Faltam apurações em Estados decisivos como Pensilvânia, Nevada, Geórgia e Carolina do Norte. Acompanhe a apuração em tempo real no site do Estadão.

Tudo o que sabemos sobre:

protestoseleiçãoEUAapuração