Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PSL paulista em disputa

Equipe BR Político

A possível indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao cargo de embaixador nos EUA pode atiçar uma disputa interna entre a líder do governo no Congresso Joice Hasselmann (PSL-SP) e o senador Major Olímpio (PSL-SP) pelo controle da sigla no Estado paulista. Isso porque o filho do presidente comanda o diretório do PSL em São Paulo, e caso venha a se tornar, de fato, embaixador, seu cargo ficaria vago. Atualmente, já existem dois grupos opostos dentro do partido: um deles é alinhado ao governador de São Paulo João Doria (PSDB) e é liderado por Joice. O outro rejeita uma aproximação com os tucanos e está sob comando de Olímpio.

Com relação às eleições para a Prefeitura de São Paulo em 2020, o grupo de Joice defende que a própria deputada seja candidata. Já os seguidores de Olímpio apoiam a candidatura do apresentador José Luiz Datena, que negocia filiação ao PSL, e do deputado estadual Gil Diniz (PSL-SP). O líder do governo no Senado também defende que o comando do partido em São Paulo fique a cargo de Diniz. “Quem deve ficar na presidência é o Gil, que é o vice-presidente. Eles (Alexandre Frota e Joice) são filiados e ponto. Não têm nenhuma força de exigência, de voto ou de grupo no partido. O Gil tem uma ligação com os Bolsonaro”, disse o senador ao Estadão.