Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Psol protocola ação contra Bolsonaro na Comissão de Ética da Presidência

Equipe BR Político

O Psol protocolou na terça-feira, 18, ação na Comissão de Ética da Presidência da República contra o presidente Jair Bolsonaro por conta dos ataques feitos ontem contra a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha. Pela manhã, em entrevista, Bolsonaro afirmou, aos risos, que a repórter “queria dar um furo a qualquer preço” contra ele.

Deputadas de oposição repudiam fala do presidente Jair Bolsonaro durante sessão na Câmara. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O argumento da sigla é de que as declarações são misógenas e incompatíveis com o cargo que Bolsonaro ocupa e com a democracia. No texto, o Psol destaca que a declaração de Bolsonaro foi uma referência ao depoimento dado por Hans River à CPMI das fake news.

Na representação, os parlamentares pedem a apuração de possíveis condutas violadoras ao Código de Conduta da Alta Administração Federal por parte do presidente, amparados pelo Decreto 6029/2007, o qual garante que qualquer cidadão, agente público, pessoa jurídica de direito privado, associação ou entidade de classe poderá provocar a atuação da Comissão de Ética visando à apuração de infração ética imputada a agente público, órgão ou setor específico de ente estatal.

Pelo Twitter, a deputada Talíria Petrone (Psol-RJ) classificou a fala de Bolsonaro como “crime de responsabilidade”. “PSOL protocolou ação no Conselho de Ética da Presidência contra Bolsonaro por suas declarações misóginas contra a jornalista da Folha. Sua fala é incompatível com o cargo que ocupa e com a democracia! É quebra de decoro e isso é crime de responsabilidade”, escreveu a parlamentar.