Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PT rebate: ‘Não há nenhum Adriano’ no partido

Equipe BR Político

O PT rebateu as insinuações feitas no sábado, 15, pelo presidente Jair Bolsonaro de que o ex-capitão do Bope Adriano da Nóbrega foi executado sumariamente pelo governo petista da Bahia. Em nota divulgada hoje, a presidente nacional do partido, deputada Gleisi Hoffmann (PR), classifica como “cinismo” as manifestações do presidente exigindo respostas para a morte de Adriano, Marielle Franco, Anderson Gomes e Celso Daniel. “Bolsonaro volta a mentir e fazer acusações falsas ao PT e ao governador Rui Costa, para desviar a atenção sobre a morte do miliciano Adriano, testemunha das ligações da família Bolsonaro com o mundo do crime, das milícias e dos desvios de dinheiro no gabinete do filho Flávio. Ultrapassa os limites do cinismo ao exigir esclarecimentos sobre essa morte e as de Marielle e Anderson, sobre as quais quem deve saber muito são pessoas próximas a ele, e volta a fazer insinuações covardes sobre a morte do prefeito Celso Daniel, 18 anos atrás”, escreveu Gleisi.

No texto, a parlamentar acrescenta que “não há nenhum Queiróz no PT, nenhum Adriano. Nenhum foragido, protegido pela PF, pelo Ministério da Justiça ou pela Presidência da República”.