Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PT recorre após Justiça derrubar chapa com Coutinho em João Pessoa

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

A Justiça Eleitoral em João Pessoa deu aval na segunda, 5, à candidatura de Anísio Maia à prefeitura da capital paraibana com Percival Henriques (PCdoB) como candidato a vice em detrimento da chapa de Ricardo Coutinho (PSB) como cabeça de chapa com o candidato a vice Antônio Barbosa (PT). Houve trombada entre o diretório municipal e a direção nacional do partido a favor da dobradinha com o ex-governador. O Diretório Nacional do PT recorreu no mesmo dia da decisão.

A chapa com o PCdoB foi registrada primeiro no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), mas os estatutos do PT e a Resolução de Tática Eleitoral do Diretório Nacional, de fevereiro, remetem para a Direção Nacional a decisão final sobre candidaturas nas capitais e outras cidades.

“A decisão da Justiça Eleitoral, desta segunda-feira, só confirma que nossa candidatura está no caminho certo desde o início. Tanto do ponto de vista democrático, quando da escolha do meu nome ter sido feita de maneira coletiva e coesa, quanto juridicamente. Agora, é seguirmos na caminhada rumo à vitória de um projeto que não é só meu. Mas, de todos e todas que acreditam que o melhor para João Pessoa é uma gestão que saiba dialogar com sua população”, escreveu Maia em sua rede social.

Segundo o juiz Fábio Leandro de Alencar Cunha, o PT nacional “atropelou o devido processo legal sem oportunizar aos interessados o direito fundamental do contraditório”.

O PT considerou “lamentável o Judiciário da Paraíba interferir numa questão interna do PT, ou de qualquer partido e já estamos recorrendo desta decisão. A direção nacional do PT tem legitimidade e autoridade para decidir sobre as candidaturas nas capitais, conforme o estatuto e resolução do Diretório Nacional. O PT é um só e vamos apoiar Ricardo Coutinho em João Pessoa, integrando sua chapa”, afirmou em nota.

Algo semelhante ocorreu em Manaus, onde o Diretório Nacional interveio para substituir o então candidato do PT pelo atual, deputado Zé Ricardo; em Boa Vista para determinar o apoio à chapa com a Rede, e em Recife para determinar o lançamento da candidata Marília Arraes.

Tudo o que sabemos sobre:

PTJoão PessoaPSBRicardo Coutinho