Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PT vai acionar o STF contra Bolsonaro por ‘obstrução à justiça’

Equipe BR Político

Após o presidente Jair Bolsonaro afirmar no fim de semana que “pegou” os áudios da portaria do condomínio onde vive para evitar que fossem adulterados, o PT vai apresentar ao presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, uma notícia-crime contra Bolsonaro. O partido alega que o presidente obstruiu a justiça. Os áudios contêm conversas de investigados no caso Marielle no dia do assassinato, como a de um porteiro com os acusados de atirar nela e no motorista Anderson Gomes, Ronnie Lessa, e o de dirigir o carro de onde partiram os tiros, Élcio Queiroz.

“Nós pegamos antes que fosse adulterado, pegamos lá toda a memória da secretária eletrônica, que é guardada há mais de ano. A voz não é minha”, disse Bolsonaro no sábado em referência ao áudio de uma conversa entre um porteiro do local onde moram ele e Ronnie Lessa, o acusado dos disparos. No diálogo, um porteiro liga para Lessa dar permissão para um visitante entrar, o Élcio Queiroz, conforme mostrou o Ministério Público em perícia de duas horas feita em CD com material gravado da portaria. Inicialmente, conforme revelado pelo Jornal Nacional, um porteiro interfonou para a casa 58, de Bolsonaro, e recebeu a permissão do “seu Jair” para que o visitante entrasse. Ocorre que o presidente da República estava em Brasília na data. Nesta noite, o colunista Lauro Jardim afirma que o porteiro que diz ter interfonado para a casa 58 não é o mesmo que interfonou para a casa de Lessa, a 65.

Tudo o que sabemos sobre:

Marielle FrancoRonnie Lessaporteiro