Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Queiroz: pista só no último minuto

Vera Magalhães

Fabrício Queiroz, o ex-assessor de Flavio Bolsonaro pivô do caso do relatório do Coaf, deixou para o último minuto da entrevista de 22 minutos e 25 segundos que concedeu ao SBT a única pista sobre a movimentação de mais de R$ 1,2 milhão em sua conta bancária no período de um ano. O já famoso “eu sou um homem de negócios, eu faço dinheiro” veio depois de várias negativas do ex-policial de esclarecer o assunto, dizendo que vai fazê-lo diante do Ministério Público –apesar de já ter faltado a 4 convocações.

A maior parte da conversa foi usada para descrever problemas de saúde –um no ombro, que ele acha tratar-se de bursite e um diagnóstico de câncer para o qual ele ainda aguarda biópsia, que o leva a evacuar sangue, segundo disse. Os depósitos de familiares em sua conta também não foram explicados (disse só, de maneira vaga, que eles foram contratados por mérito e que tinha a intenção de comprar um apartamento para eles), nem a coincidência de datas entre depósitos e saques na conta e os pagamentos dos salários na Assembleia Legislativa do Rio. / V.M.