Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Quem nomeia chefe da PF sou eu’, repete Bolsonaro

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Durante a posse do novo ministro da Justiça e Segurança Pública, o ex-AGU André Mendonça, em que o presidente Jair Bolsonaro foi impedido de empossar o delegado Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal, o presidente não perdeu a oportunidade de, em um discurso enfeitado com elogios e defesas aos demais Poderes, contestar a decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes, responsável pela suspensão de Ramagem, e repetir a frase que usou para criticar Sérgio Moro: “Quem nomeia chefe da PF sou eu”. 

O presidente Jair Bolsonaro durante o discurso na posse do novo minsitro da Justiça e Segurança Pública

O presidente Jair Bolsonaro durante o discurso na posse do novo ministro da Justiça e Segurança Pública Foto: Reprodução/TV BrasilGov

Bolsonaro precisou cancelar a nomeação de Ramagem, que ocorreria também nesta quarta-feira, 29, após decisão de Moraes que citou as acusações do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro de tentativas de Bolsonaro de interferência política na PF.

“Alexandre Ramagem, que tomaria posse hoje, foi impedido por uma decisão monocrática de um ministro do STF”, disse, antes de recitar uma lista de qualidades de seu escolhido. “Um homem à altura de representar e ser o chefe da segurança do chefe da Presidência da República”, descreveu. “Eu gostaria de honrá-lo no dia de hoje dando-lhe posse como diretor-geral da Polícia Federal. Eu tenho certeza que esse sonho meu mais dele brevemente se concretizará”, finalizou Bolsonaro.