Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Randolfe diz que é ‘injusto sacrificar’ servidor por repasse a Estados

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) não concorda com o parecer do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) sobre o PLC 149/2019, que oferece ajuda financeira aos Estados e municípios. Mais cedo, a Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) emitiu nota em que critica as alterações de Alcolumbre.

O senador Randolfe Rodrigues

O senador Randolfe Rodrigues. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

O parecer condiciona o apoio aos entes federativos ao congelamento do salário dos servidores públicos. “Não é hora de o governo federal barganhar, mas de ser magnânimo no enfrentamento da crise, como fazem os demais países”, avalia Randolfe em publicação feita nesta sexta-feira, 1, no Facebook. “Além disso, é injusto exigir um sacrifício de quase dois anos aos funcionários por um repasse pontual, de quatro meses, a Estados municípios”, escreveu.

O projeto será votado amanhã pelos senadores. Randolfe afirma também que o valor proposto no relatório, R$ 28 bilhões, é insuficiente, “pois fica distante de compensar as perdas de receita de Estados e municípios, o que deverá impactar nos serviços públicos, inclusive de saúde e segurança pública”, argumenta.

Randolfe apresenta propostas que poderiam, ao seu ver, ajudar a custear a ajuda: destinar os recursos dos Fundos Partidário e Eleitoral; implementar o Imposto sobre Grandes Fortunas; e usar parcela das trilionárias reservas internacionais, por exemplo.