Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Randolfe protocola convite para Moro falar no Senado

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), convidou nesta sexta, 24, o ex-ministro Sérgio Moro para falar à Comissão de Constituição e Justiça da Casa sobre as acusações feitas hoje contra o presidente Jair Bolsonaro. Conforme você leu mais cedo aqui no BRP, foram:

  1. ter manifestado expressamente a intenção de interferir politicamente na Polícia Federal, não apenas na direção-geral, mas nas superintendências regionais;
  2. que Bolsonaro afirmou expressamente que queria uma PF subordinada a ele, que ele tivesse acesso pessoal à cúpula da PF para interferir em investigações em andamento e inclusive ter acesso a relatórios de inteligência;
  3. que o presidente fez o que nem Lula e Dilma Rousseff fizeram: interferir politicamente na Polícia Federal;
  4. que Bolsonaro traiu a palavra de que não haveria interferência política no Ministério da Justiça e que ele teria carta-branca para conduzir a pasta;
  5. que é mentira do presidente que Maurício Valeixo teria pedido para deixar a Polícia Federal; ele teria sido comunicado na noite de quinta-feira a Valeixo que a exoneração sairia no Diário Oficial na manhã de sexta;
  6. que ele não assinou a demissão de Valeixo no DOU, como consta da publicação e foi sustentado por Bolsonaro no Twitter e pelo perfil oficial da Secom;
  7. que Bolsonaro também gostaria de ter acesso a inquéritos que correm no Supremo Tribunal Federal e manifestou a ele preocupação com essas investigações.

Em razão da pandemia, a CCJ está inoperante, cabendo ao presidente da Casa, Davi Alcolumbre, acioná-la novamente.