Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Em ato final na PGR, Dodge apresenta denúncia no caso Marielle

Cassia Miranda

Em seu ato final como procuradora-geral da República, Raquel Dodge protocolou uma denúncia envolvendo o assassinato da ex-vereadora Marielle Franco (Psol), além de ter aberto um novo inquérito referente ao caso. De acordo com Dodge, o inquérito instaurado nesta terça-feira, 17, indica que houve desvirtuamento da investigação do assassinato da ex-vereadora carioca e do motorista Anderson Gomes. Cinco pessoas foram denunciadas, entre elas está Domingos Brazão, conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Rio.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em ato final no cargo

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em ato final no cargo. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Nesta tarde, último dia da gestão Dodge na PGR, ela apresentou um balanço do biênio em que esteve a frente do MPF, 2017-2019. No total, foram 64 denúncias apresentadas ao STF e STJ, o que equivale a uma a cada sete dias. Ao todo, 224 pessoas foram denunciadas. Segundo a procuradora, o número demonstra a “dedicação ao ofício” que ela teve durante o mandato.

Durante a gestão, Dodge foi alvo de críticas pela lentidão na condução da Lava Jato. “Tenho consciência de que não fiz isso”, disse. No balanço de hoje, a procuradora disse que 19 pedidos de homologação de delação premiada foram feitos nos últimos dois anos. Segundo Dodge, ela fez questão de manter o sigilo sobre as delações para que fosse cumprida a lei e que não houvesse vazamentos.