Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Rebuliço na Câmara de SP por alteração no Plano Diretor

Equipe BR Político

Duas palavrinhas a mais causaram um rebuliço na Câmara Municipal de São Paulo nesta quarta, 9: “Vias estruturais”. O PL 513/2019 aprovado na Casa, que depende da sanção do prefeito Bruno Covas (PSDB), permite que o dinheiro do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano (Fundurb) seja usado para construir e melhorar ruas e avenidas – o Plano Diretor da Cidade, aprovado em 2014, só permite seu uso no transporte público, cicloviário ou na circulação de pedestres.

O texto isenta também famílias de baixa renda que tenham comprado imóveis pelo Minha Casa Minha Vida a pagarem tributos municipais. Na votação, o vereador Police Neto (PSD) contestou a intromissão do polêmico trecho. Aos berros na Câmara, disse que “isso é fingir que a população não tem nada na cabeça e aceita a ser enganada. Dá com uma mão e tira de outra”.

Covas tem até 20 dias úteis para analisar o texto. Enquanto isso, Neto afirmou ao BRP que o partido vai tentar convencer o prefeito a vetar a mudança. “Se ele não barrar, vamos entrar com uma ação. A meu ver, quebrar uma cláusula do Plano Diretor é ilegal”. (Felipe Goldenberg, especial para o BRP)