Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Recado de Maia para quem quer mudar teto: ‘Vão ficar querendo’

Marcelo de Moraes

O movimento de setores do governo e do Congresso para tentar alterar a regra que estipula um teto de gastos não vai prosperar se depender da vontade do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Ontem, ele já tinha dito ao BRP que era contrário à mudança, defendendo que a busca pela racionalização da máquina pública deve acontecer com a contenção de despesas, dentro de uma reforma administrativa.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara e contra a mudança no teto de gastos, durante entrevista no Salão Azul da Câmara

Rodrigo Maia, presidente da Câmara. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Hoje, voltei a Maia e perguntei o que ele achava da mobilização dos setores que querem acabar com o teto em busca de maior flexibilidade orçamentária. “Vão ficar querendo”, respondeu, logo depois de participar da abertura da Comissão Geral realizada na Câmara para discutir a crise ambiental no País.