Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Recorde: Desemprego atinge 13,8 milhões no tri até agosto, aponta IBGE

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O desemprego no Brasil bateu recorde no trimestre encerrado em agosto e atingiu 13,8 milhões, aumento de 8,5% frente ao trimestre anterior. A taxa populacional desempregada chegou a 14,4% no período, de acordo com Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgada nesta sexta-feira, 30, pelo IBGE. Houve aumento de 1,6 ponto porcentual em relação ao trimestre encerrado em maio (12,9%), com isso, essa é maior taxa registrada na série histórica do levantamento, feito desde 2012.

Homens e mulheres as 6 horas da manhã, na fila do posto central do SINEBAHIA, em Salvador. FOTO: MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO

De acordo com a analista da pesquisa, Adriana Beringuy, o aumento na taxa de desemprego é um reflexo da flexibilização das medidas de isolamento social para controle da pandemia de covid-19. “Esse aumento da taxa está relacionado ao crescimento do número de pessoas que estavam procurando trabalho. No meio do ano, havia um isolamento maior, com maiores restrições no comércio, e muitas pessoas tinham parado de procurar trabalho por causa desse contexto. Agora, a gente percebe um maior movimento no mercado de trabalho em relação ao trimestre móvel encerrado em maio”, diz.

O número de pessoas ocupadas  caiu 5% na comparação com o trimestre encerrado em maio, totalizando 81,7 milhões. Com essa retração de 4,3 milhões de pessoas, esse é o menor contingente já registrado na série da pesquisa. Quando comparado ao mesmo trimestre do ano anterior, a queda é de 12,8%, o que representa 12 milhões de pessoas a menos no mercado de trabalho.

 

Tudo o que sabemos sobre:

IBGEdesempregoBrasilPnad Contínua