Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Rede desiste de ação em inquérito das fake news no STF

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Diante da repercussão nesta semana das diligências autorizadas pelo ministro Alexandre de Mores, do STF, contra alvos do inquérito das fake news, a Rede Sustentabilidade desistiu nesta sexta, 29, da ação protocolada no STF contra a investigação. O partido questionou o inquérito aberto em março de 2019 por causa da justificativa genérica de apurar fake news e ameaças a ministros da Casa e familiares, tendo culminado à época em censura de reportagem sobre o ministro Dias Toffoli publicada pela revista “Crusoé” e o site “O Antagonista”. A lei, no entanto, prevê que, se a ação for proposta, não se admitirá desistência do autor da ação.

O ministro do STF Edson Fachin, que relata a ação de questionamento do inquérito das fakes news

O ministro do STF Edson Fachin, que relata a ação de questionamento do inquérito das fakes news Foto: Carlos Moura/SCO/STF

De acordo com o partido, se o inquérito quando foi aberto “apresentava inquietantes indícios antidemocráticos, um ano depois ele se converteu em um dos principais instrumentos de defesa da democracia e da lisura do processo eleitoral”, conforme afirmou ao Broadcast Político. De lá pra cá, o País teria regredido “30 anos”, com uma escalada autoritária por “parte de alguns mandatários”, evidenciando “o mal das fake news para a democracia”.

Hoje, o inquérito tem revelado, segundo o partido, “uma verdadeira organização criminosa cujo alvo são as instituições democráticas e cujo instrumento são as fake news: distribuídas em massa, financiadas por esquemas ilícitos e coordenadas, aparentemente, por autoridades públicas”.

Caso as provas colhidas pelo STF sejam compartilhadas com o Tribunal Superior Eleitoral, as ações na corte eleitoral relacionadas a disparos em massa de mensagens na campanha presidencial do presidente Jair Bolsonaro em 2018 podem ganhar novos contornos, hoje preocupantes dentro do Palácio do Planalto, segundo o Broadcast, pela possibilidade aberta de cassação da chapa Bolsonaro-Mourão.

Tudo o que sabemos sobre:

redeSTFinquérito das fake news