Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Rede quer aprovação da CoronaVac em até 72 horas

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A Rede Sustentabilidade está tentando liberar o mais breve possível a CoronaVac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan. A sigla protocolou uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) argumentando “condução desproporcional” da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na análise do imunizante em relação à vacina de Oxford, favorita do governo federal para a campanha nacional de vacinação.

“Nesse caso, a preferência ideológica parece caminhar no sentido de minar uma vacina potencialmente eficaz (CoronaVac) tão somente pelo fato de ter sua inteligência científica desenvolvida na China em parceria com o Governo de São Paulo, cujo mandatário é adversário político do Sr. Presidente da República”, diz a sigla no pedido para o ministro Ricardo Lewandoski.

O Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), responsáveis respetivamente pela CoronaVac e pela vacina de Oxford, protocolaram no mesmo dia o pedido de uso emergencial dos imunizantes. Mas a Anvisa requisitou mais informações da CoroanaVac, o que pode atrasar sua aprovação.

O Supremo já definiu que a Anvisa tem 72 horas para se manifestou sobre medicamentos e vacinas aprovados em outros países. A CoronaVac já recebeu a chancela para uso emergencial na China e na Indonésia. “O que se vê é que, aparentemente, o Sr. Presidente da República segue se utilizando de artifícios ardis e alheios ao Estado de Direito para minar as possibilidades de a população brasileira ser imunizada com maior brevidade”, afirma a Rede.

Confira a ação da Rede:

Tudo o que sabemos sobre:

vacinaanvisaRede Sustentabilidade