Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Reforma da Previdência avança e governo fala em ‘vitória’

Equipe BR Político

O Senado concluiu nesta tarde de quarta, 2, a votação, em primeiro turno, da reforma da Previdência, mas o calendário do segundo turno vai depender da capacidade de barganha do governo com o Congresso para a liberação das emendas parlamentares e para a divisão de recursos do leilão do pré-sal. A Casa rejeitou cinco destaques que poderiam reduzir a economia em mais R$ 283 bilhões, segundo cálculos do governo obtidos pelo Estadão/Broadcast.

Senado Federal durante votação dos destaques da PEC da reforma da Previdência

Senado Federal durante votação dos destaques da PEC da reforma da Previdência. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

“Celebrem o Brasil, porque a reforma da Previdência vai dar um novo futuro, uma nova esperança ao nosso povo,”, comemorou o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, nesta tarde.

O texto-base foi aprovado nesta madrugada de quarta por 56 votos a 19, bem como o destaque que retirou as modificações na regra do abono salarial, o que provocou uma desidratação da economia prevista em 10 anos de R$ 76,4 bilhões. A aprovação desse destaque desagradou ao Ministério da Economia.

Além de aumentar o tempo para se aposentar, a reforma também eleva as alíquotas de contribuição para quem ganha acima do teto do INSS e estabelece regras de transição para os atuais assalariados. Professores do ensino básico, policiais federais, legislativos e agentes penitenciários e educativos terão regras diferenciadas, informa o Estadão.