Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Praças ‘revoltados’ com Bolsonaro

Equipe BR Político

A reforma dos militares pode motivar a perda de apoio ao governo de Jair Bolsonaro por parte desta que foi uma das principais categorias que o apoiou na campanha eleitoral de 2018. Isso porque, o reajuste maior para as altas patentes previsto no projeto de reforma da Previdência da categoria revoltou os praças, militares de baixa patente.

O comandante do Exército Brasileiro, General Edson Pujol, no Comando Militar da Amazônia

Militares no Comando da Amazônia. Foto: Comando Militar da Amazônia/Exército

Nesta terça-feira, 22, eles lotam o plenário da Comissão Especial que analisa o projeto, na tentativa de emplacar emenda que acaba com a diferenciação no reajuste. Os militares prometem trabalhar contra o presidente nas redes sociais.

O presidente da Associação de Praças das Forças Armadas (Aprafa-Brasil), Jair da Silva Santos, afirma que Bolsonaro perdeu o apoio maciço que tinha entre os militares de graduação mais baixa. “De subtenente para baixo, estão todos revoltados. Todos falando que não vão apoiar Bolsonaro em uma nova eleição por causa da falta de consideração do presidente”, afirmou.

Os praças percorreram gabinetes na tentativa de aprovar um destaque apresentado pelo PSOL que faz mudanças no texto para que os reajustes alcancem todos os militares. Entre as mudanças está a previsão da retirada do adicional de acordo com os cursos de altos estudos, informou o Broadcast Político.