Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Sem tempo para PEC paralela?

Equipe BR Político

Não parece “exequível” votar este ano na Câmara a PEC paralela da reforma da Previdência. A avaliação é do relator da reforma tributária na Câmara e líder da maioria na Casa, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), em entrevista à Globonews.

Deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), relator da reforma tributária na Câmara e líder da maioria na Casa

Deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), relator da reforma tributária na Câmara e líder da maioria na Casa. Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

“Não estou dizendo que é impossível, mas eu vejo com dificuldade se aprovar uma PEC como essa nesse momento”. Atualmente, a PEC paralela está na CCJ do Senado. O fato de o texto paralelo não avançar no mesmo ritmo do texto principal é motivo para parlamentares se referirem ao texto como “PEC da balela”.

A proposta foi criada para resgatar pontos da proposta, como a inclusão de Estados e municípios na reforma. Segundo o deputado, seria necessário uma discussão mais profunda com as lideranças da Casa para pensar em tratar do tema de novo. Aguinaldo Ribeiro ainda avaliou que os Estados já deveriam avançar nessa agenda. “Alguns Estados já avançaram, já fizeram seu dever de casa, e outros estão fazendo, não vão esperar para que o processo seja votado no Parlamento”, disse.