Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Previdência passa em primeiro turno no Senado, mas com derrota para o governo

Equipe BR Político

Apesar de previsível, a aprovação em primeiro turno da reforma da Previdência no Senado foi uma vitória. No fim da noite de terça-feira, 1, o texto-base da PEC foi aprovado por 56 votos a 19. O que o governo não esperava era que essa vitória viesse acompanhada de uma derrota: a derrubada do artigo que criava regras mais rígidas para recebimento do abono salarial.

Plenário do Senado Federal durante votação referente à reforma da Previdência.

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária na noite de terça, 2.Votação de destaques. Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Esse era um dos pontos mais importantes para o governo por conta da economia que o item agregaria em dez anos. Treze senadores que haviam apoiado o texto-base da reforma da Previdência traíram o governo e ajudaram a derrubar a mudança no abono salarial, segundo o Broadcast Político. Com isso, a previsão de economia com a reforma da Previdência é reduzida em R$ 76,4 bilhões em dez anos. Assim, o impacto fiscal da PEC passa para R$ 800,3 bilhões em uma década.

Os senadores decidiram manter o critério atual: pode receber o benefício quem recebe até dois salários mínimos, cerca de R$ 2 mil. A versão da reforma aprovada pela Câmara previa um limite de renda mais restritivo, de aproximadamente R$ 1,3 mil.

Nesta quarta-feira, 2, outras seis possibilidades de mudança no texto principal da reforma serão apreciadas pelo plenário do Senado. E economia com a reforma, portanto, ainda segue em risco.