Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

E a tributária, como é que fica?

Equipe BR Político

Até pouco tempo, a reforma tributária figurava como a segunda mais prioritária ao País, atrás apenas da reforma da Previdência. Agora, a falta de unanimidade no discurso e a importância que a reforma administrativa vem ganhando dão sinais de que a tributária pode estar no caminho de subir no telhado.

Plenário do Senado Federal em vista de cima

Plenário do Senado. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

De um lado, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou nesta terça-feira, 22, que a proposta ficará para o ano que vem. Recentemente, a presidente da CCJ no Senado, Simone Tebet (MDB-MS), afirmou que “não podemos contar com uma reforma tributária este ano” e que não há acordo entre as duas casas legislativas.

Do prédio ao lado, no entanto, o relator da PEC 45, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse ao Estadão que não há qualquer tipo de acordo para deixar as mudanças no sistema tributário para o ano que vem.

“Não tem acordo (para adiar). Estamos tocando. Não tem mudança. O acordo que tem com o Senado é buscar uma solução política que atenda ao País”, disse ele, destacando que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AM), vai criar uma comissão mista entre Senado e Câmara para buscar uma convergência de propostas.